A GENTE SE VÊ NO GUARUJÁ

Encontra-me na praia do Tombo
Com aquele biquíni que te deu o nosso Deus;
À noite, que é feita aos amantes,
Contemplaremos no mar o reflexo dos olhos teus.
Se pá nos jogaremos na água
E cruzaremos as ondas, de Iporanga a Guaiúba,
Ou então rolaremos na areia
Fazendo à lua nossa dança da chuva.

Encontra-me na praia do Tombo
Onde o mar ostenta sua majestosa prerrogativa;
Partiremos de lá para a Enseada,
Dama dos mares, a portar-se sempre altiva.
Levo-te à praia do Éden
E te mostro coisas de que até duvidaria Deus;
Em meus braços irás desejar
Estarmos cem dias, a sós, entre o mar e o céu.

Encontra-me na praia do Tombo
Ao cair da noite de um dia de verão,
Trarei aos teus pés as estrelas
E toda a primavera ao alcance das tuas mãos.
Farás um pedido à cadente
E o que quiseres farei questão de te oferecer,
Corro, vou atrás, onde esteja,
Em Pitangueiras, Pernambuco ou Perequê.

Encontra-me na praia do Tombo
Quando chuva de pétalas cair sobre São Pedro;
Por entre horizontes e galáxias
Voarás comigo pelo infinito, sem medo.
Quando cansada, sobre o seio das Astúrias
Farei com que adormeças ao meu acalanto
E, ante o teu repousar, confidenciarei baixinho
Que és a única verdadeira Pérola do Atlântico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar.