"Entre o sono e o sonho"

Coletânea de poesias organizada por Gonçalo Martins (Chiado Editora) e lançada em Portugal, em março de 2013, contém obras de cerca de 1.000 (mil) autores distribuídos em dois volumes de 600 (seiscentas) páginas cada.
Na obra em questão, mais precisamente no Tomo I, que é o volume que contém os autores cujos nomes se iniciam com letras de 'A' a 'I', a poesia assinada por mim é intitulada FUGA.


Fuga
Eber Josué

Isolei-me na última das mais altas torres 
E fiz lacrar mudas aldravas 
Atrás das portas; 
Aos lacaios ordenei que se calassem 
E encerrassem o último castiçal 
De uma vez por todas. 
Cerrei janelas, véus e os meus próprios olhos, 
Fazendo cair pesado dossel 
Sobre o meu corpo; 
A respiração limitando-se ao nada, 
Quando quedei por fim silente, 
Como se morto.

O carrilhão, atei-o por correntes,
O cuco, botei-o entre dormentes, 
A cítara, que Apolo a tenha dado cabo, 
Pois à sorte entreguei todo o resto. 

Acordem-me somente quando a pomba, 
Munida da alvissareira oliveira, 
À minha janela vier pousar; 
Em riste, alçar-me-ei da alcova, 
Far-me-ei bem mais que sobranceiro, 
Aos meus vassalos ordenarei que toquem, 
Que dancem minhas belas odaliscas; 
E eu mesmo saltarei qual uma criança,
Por ser chegado o tempo da bonança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar.